outubro 04, 2009

Pelos, para que tê-los?

Acabei de achar os filhotes da sobranchelha do Elias Gleiser. Até aí tudo bem, não fosse o fato de eu os ter achado no espelho do banheiro aqui de casa!

Particularmente, eu acho que passar a ter as sobrancelhas do Elias Gleiser não seria motivo de reclamação. SE esse fosse o ÚNICO problema. Mas a sacanagem começa quando eu olho uns dez centímetros mais para cima...

Há alguns possuía eu o contorno completo do cabelo, hoje possuo uma bela careca motel (aquela que tem entrada, saída, e no meio tá foda!).

O processo de queda me surpreendeu, pois estava eu já cantando vitória por ter passado dos 25 anos de idade sem nenhuma queda capilar aparente. Todas as 'estatísticas' diziam que se era pra ficar careca, assim ficaríamos até os 25 anos. Diziam que passada essa idade limítrofe, os riscos de eu me tornar um ponto de referência - "Logo alí, do lado do careca narigudo!" - eram baixíssimos. Estatística de merda! Caíram-me os cabelos ....



Onde estão vocês, ó cabelos desengajados?
Infiéis!
Não lhes diz nada os anos que passamos juntos?
Não lhes vale nada todo o carinho que lhes dei, penteando-vos, lavando-vos, secando-vos?
Não, claro que não.
Valesse tudo isso algo, não me abandonariam,
não me deixariam a descoberto,
sofrendo com o ataque direto dos elementos a minha fronte (e teto).

De qualquer forma, o que me deixa mais puto em ficar careca não é o fato de perder os cabelos (bem, na verdade, isso me deixa puto pra cacete), o mais difícil mesmo é aceitar a contradição que é o crescimento dos outros pelos em locais totalmente desnecessários, se não, ridículos!

Caem os pelos da cabeça, crescem os pelos das costas, dos ombros, dos dedos, das sobrancelhas, da bunda .... ou seja, cresce aquele monte de pelo que fica RIDÍCULO.

A mim me parece até que é  uma coisa do tipo reprodução por semente - 'cai o pelo da cabeça, aterissa o mesmo em algum local mais ao sul, aterra, germina, cresce'.

Já diz o dito popular "Se cabelo fosse bom, não nasceria no suvaCU".

Anyway, com o processo de queda instaurado e irreversível (sempre tive a simples opinião pessoal que se meu cabelo começasse a cair, eu não iria nem a pau começar com aqueles tratamentos que seguram o cabelo e derrubam o pinto! Não que eu faça muito uso do último, mas é uma questão de princípios, homem que é homem fica careca mas de pemba dura) começo a buscar o motivo para tal maldade da natureza, recorrendo, obviamente, ao google ....

Pesquisa pra cá, pesquisa pra lá:

Causa número 1 da calvície: Carga genética (ou seja, hereditária). Descarto de pronto essa, já que meu pai tem muito mais cabelo que eu, meu irmão nunca perdeu um fio sequer .....

Causa número 2: Excesso de testosterona. Me apego a essa, pois me parece promissora, já que testosterona parece uma coisa boa de se ter em excesso. Mas trinta segundos, e uma olhada para as minhas partes pudentas, depois, desisto em aceitar essa explicação também. A correlação me pareceu muito "pequena".

Causas de número 3 a 27 .... muita embromação e pouca esperança.

Desisto de arrumar uma explicação e começo a avaliar um transplante de cabelos (sim, é transplante e não implante!). Desisto também, já que ficar com a cabeça parecendo uma horta de cebolinhas não me parece muito promissor.

Mas assim, meio que vindo do nada, me lembro de algo muito relevante para o assunto em pauta, mendigos! Sim, mendigos!!!

Pare para pensar. Você já viu mendigo careca? Aposto que não! Decidido, vou virar mendigo .....

Bem, me ponho a pensar por mais uns trinta segundos e me convenço de que os mendigos ficam carecas sim, só não perdem os cabelos (os cabelos se soltam da cabeça, mas como o mendigo não toma banho e nem penteia os cabelos, os fios que se soltam continuam alí, entrelaçados aos outros companheiros, presos como palha em ninho de passarinho).

Decido então me contentar com uma frase que me foi dita pelo Seo Ventriglião "Deus fez poucas cabeças brilhantes, as outras cobriu com cabelos." ... o que não me serve de muito alento, já que sou ateu ....
Deixem-me ir, preciso pegar a vassourinha para limpar o monte de pelos que agora se encontra entre a beirada da mesa e o teclado, ou a minha mulher me desce a vassoura na cabeça (e sem o colchão de cabelos a amortecer a pancada, vai doer).

Um comentário:

  1. Rá, rá, rá!!!

    Não tenho muito a dizer ou a aconselhar sobre agrura tão masculina... Mas fique sussa, um careca tem o seu valor! (Nem que seja, como você disse, o de servir como ponto de referência!)

    ResponderExcluir