abril 10, 2010

O verdadeiro significado de certas coisas (post sério!)

Está lá o dicionário, pai dos burros (talvez a pior alcunha possível a esse livro de tantas páginas, pois burro é aquele que acha saber tudo. Áquele que busca o conhecimento em suas páginas, dá o dicionário o nome de pesquisador, ou algo que o valha) a nos esclarecer o significado das palavras.

Mas devo dizer que, a meu ver, o dicionário pode explicar muito, pode dar sentido a milhares de termos que não nos passam nenhum significado, ou ainda, nos causar espanto quando nos ajuda a entender que aquele que achamos ser o significado de uma palavra é apenas um equívoco; mas não é onipotente em seu fim.

Digo eu sim que o dicionário não é capaz de explicar tudo. Não, não sou um herege, blasfemo ou algum outro significado que podemos achar para o termo nas páginas deste que dei eu a contestar agora.

Antes de me axincalhar, dê-me a chance de explicar: 

Penso eu que o verdadeiro significado de certas palavras só aprende aquele que tem um filho, que com ele passa o dia, que dele cuida, que a ele alimenta, veste, banha, escova os dentes ....

Somente a esse ser de sorte, o pai ou a mãe, dá o universo a esclarecer, além da capacidade do melhor dicionário já editado, a verdade por trás da palavra. Somente um pai ou mãe consegue ver por trás da mera justaposição de letras que são certos verbetes.

Bem, deixemos de filosofia e vamos ilustrar meu ponto de vista sobre a incapacidade esclarecedora dos dicionários.

A primeira palavra que nos é dada a entender em sua plenitude ao termos um filho é FELICIDADE .... ficamos felizes à toa, por ganhar um presente, por trocar de emprego, por ver nosso time ganhar, BALELA!!! Aquele que viu o parto do filho, que assistiu a seu primeiro sorriso, que ouviu sua primeira palavra, que o apoiou em seu primeiro passo ... esse sim sabe o que realmente quer dizer felicidade.

Depois se nos esclarece a palavra AMOR ... sofremos de amor na juventude, amamos nossos ídolos, pais, mães, irmãos. Mas todos esses amores tem um ponto em comum, são amores por escolha, hábito ou tradição. Quando temos um filho, há uma novidade presente. O amor ao filho nasce do nada, é instantâneo, não existe por obrigação ou por dívida, nem por um prazer egoísta. É sim um sentimento que surge; apenas aparece alí, dentro da gente, vem sem escolha, existe por ser bom, e perene é.

O que dizer então de PACIÊNCIA* .... achamos que ter paciência é conseguir aguentar uma hora de trânsito pela manhã, é não matar o garçom que trouxe nosso refrigerante errado, é suportar quaisquer desses perrengues menores sem proferir um palavrão indecente. Não, o verdadeiro significado da palavra paciência só sabe quem já tentou convencer aquele ser humano em miniatura a fazer algo que a ele é importante, ou necessário, mas que a essa miniatura não interessa; coisas como dormir na hora certa, comer um vegetal, desligar a televisão, fazer a lição de casa, dividir um brinquedo. Bem, todas aquelas coisas que caem no job description de pai** .... (e uma coisa devem todos os adultos candidatos a pais entender:: criança tem paciência infinita, o que já nos é um luxo escasso. Será que é essa a razão de sempre dizermos "como era bom ser criança"? Talvez!)

MEDO .... essa nem vontade de comentar dá, pois quem tem filho tem medo. E tem medos que pareciam não ser possíveis ... Mas só de pensar em exemplos para explicar, fico eu com medo. Paro por aqui ......

Bem, há tantas outras palavras, mas acho que você já pegou o fio da meada e posso parar por aqui ......



* Escrevi esse post pois hoje perdi a paciência com meu pequeno por um motivo estúpido e, ao pensar nisso, me dei conta das outras palavras desse post. Além disso, foi nessa semana que, conversando com outros pais, lembrei-me de um vídeo que assisti, um que mostra um filho perdendo a paciência com um pai por conta de uma passarinho. Vídeo esse que todo pai e todo filho devem assistir uma vez na vida (a segunda é quase impossível pois você começa a chorar antes do vídeo começar!!!).

Link pro vídeo:: http://www.youtube.com/watch?v=mNK6h1dfy2o
** Pra mim a tarefa principal dos pais é:: dar ao filho aquilo que ele precisa, não aquilo que ele quer!

*** E leiam aqui ótimas e totalmente coerentes "dicas de um pai que nunca foi" do Rodolfo Araújo
http://rodolfo.typepad.com/no_posso_evitar/2010/01/dicas-de-um-pai-que-nunca-foi.html
http://rodolfo.typepad.com/no_posso_evitar/2010/02/mais-dicas-de-um-pai-que-nunca-foi.html



3 comentários:

  1. Que lindo texto, me emocionei...No fundo, o que a gente quer, é que eles sejam melhores do que nós, não é?

    (o vídeo é lindo mesmo, eu já havia visto)

    Bj meu e da minha menina pra vcs 3

    ResponderExcluir
  2. Muito bonito! Emocionante, mas os filhos tem a missão de nos ensinar a ser pais. Experiências gratificantes e edificadoras.

    Abraços,

    Fávero.

    ResponderExcluir
  3. Kinder, essa foi marcante mesmo. E, como disse o Favero, feliz o pai que aprende com os filhos tanto ou mais do que pode ensinar.

    Abracos, Andre

    ResponderExcluir