maio 19, 2010

Como eu preferia quando Murphy ainda era megalomaníaco

Há uns cinco meses estou sem um estojo para guardar minha escova de dentes no escritório. Eu, particularmente, não ligo. Mas a galera acha meio nojento eu jogar a escova na gaveta junto com a papelada, e a carregar pro banheiro no bolso (o que faz com que eu tenha que eliminar aquele 'broscolho' de tecido de dentro do bolso que fica preso nas cerdas antes de começar a escovar os dentes).

Então, decidido a cumprir mais um dos rituais sociais de fazer parte de um grupo, fui eu à farmácia e comprei um estojo para escovas de dentes. Nem preciso dizer que comprei o que tinha mais 'personalidade', ou seja, o mais barato mesmo.

No dia seguinte, quando chego de volta no escritório e vou rasgar a embalagem do estojo para acondicionar minha escova, me dou conta de umas letrinhas miúdas, assim na parte de trás da embalagem...

"não serve para escovas da marca Oral B" 

Preciso dizer qual a marca da minha escova?

Foi então que me lembrei de uma época mais fácil para se viver, e é sobre essa época que escrevo a seguir:

"O dia, ou melhor, a noite é 14 de abril, o local é Southampton - Inglaterra. Em um cais escuro do antigo mundo parte em sua viagem inaugural o maior e mais inafundável navio de passageiros do mundo, o RMS* Titanic.

"O Titanic contava com as mais avançadas tecnologias disponíveis à época, mas como todos sabemos, não resistiu ao impacto com um gigantesco iceberg e foi a pique, com uma perda imensa de vidas humanas.

"Como para todo acidente de grandes proporções há também nessa estória o que nós, seres humanos, fãs incondicionais de explicações complicadas pra tudo, chamamos de 'sucessão de erros' que culmina com o acidente em si.

"Eu já tenho uma explicação mais simples para o acidente .... a megalomania do Murphy** - esse mesmo, aquele da Lei (já escrevi sobre ele aqui).

"O Murphy era um megalomaníaco dos piores. Afundava os Titanics, incendiava os dirigíveis, atrapalhava todos os atentados contra o Hitler, ou seja, amava patrocinar as maiores cagadas da humanidade.

"Mas, como enuncia*** a própria Lei de Murphy, se uma coisa pode piorar, ela vai piorar e na pior hora, e não é que São Longuinho - com a sua mania de achar tudo - resolveu achar que Murphy tava perdendo o controle e decidiu intervir ....

"Murphy. Podemos conversar?"
"Nem vem São Longuinho, já disse que dessa vez não fui eu."
"Não é nada disso, eu já achei o Elvis. O problema é que foi com São Pedro ... mas deixa pra lá. Quero falar sobre essa sua mania de grandeza."
"Lá vem ......"
"É sério Murphy. Onde você acha que vai parar assim, é como droga, hoje você toma Tang, amanhã tá no bar se entupindo de ovo colorido."
"Tá, mas o que você quer que eu faça?"
"Não se preocupe, já acertei tudo com Santa Dymphna****, é só você marcar umas sessões com ela que tudo vai ficar bem."

Simplificando a estória, Murphy fez 27 sessões com Santa Dymphna e ficou 100% curado de sua magalomania.

Mas como eu preferia ele antes da cura, quando ele ainda era megalomaníaco e só se preocupava com grandes eventos, não lhe sobrando tempo para escovas de dentes e seus estojos!

..... Santa Dymphna você é uma ..... deixa pra lá ...... derrubei café no teclado ......



RMS Royal Mail ship ou Royal Mail steamer (significando "navio" ou "vapor do Correio Real" e, normalmente, abreviado para RMS) é um prefixo usado em navios mercantes britânicos contratados pela Royal Mail (companhia postal nacional do Reino Unido) para transportarem correio.


** Se quiser saber mais sobre a Lei de Murphy, clique aqui


*** Os enunciados da Lei de Murphy são diversos e variados, mas gravitam sempre no mesmo tema, vide **


**** Para saber mais sobre Santa Dymphna, padroeira dos médicos de malucos, clique aqui


**************** Sim, eu sei, sou meio viciado na Wikipedia, mas, a meu favor, já escrevi sobre suas limitações aqui







4 comentários:

  1. E aqui no Canadá que o pessoal não escova os dentes depois do almoço....isso sim é nojento!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom!

    A propósito, sempre imaginei um diálogo entre Murphy e seus enunciados e Pollyanna (a contente, lembra?). Tivesse talento, arriscaria escrevê-lo...
    Fica, assim, a sugestão.

    Abraço,

    RMG

    ResponderExcluir
  3. Seria, a dizer o mínimo, interessante .....
    Preciso conhecer melhor a Pollyana, pois seu muito pouco sobre a estória.

    Obrigado pela visita.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Um bom resumo: http://pt.wikipedia.org/wiki/Pollyanna

    Aguardo o inspirado diálogo!

    Abraço,

    RMG

    ResponderExcluir